9 de mar de 2010

O que te motiva?!



Uma boa amiga e grande pessoa tem um blog chamado “O que tem motiva?”.
Não é uma resposta fácil de atingir. Essa temporada na Patagônia, minha segunda, me ensinou muito sobre o que me motiva. Cheguei em dezembro, com motivação 110%. E terminei a temporada com perto de 10% de motivação de subir e escalar. O que aconteceu nesse período para que chegue a esse final será descrito em diversas postagens que farei nas próximas semanas.
O princípio e meio da temporada se mostraram horríveis: muita chuva, muito vento e temperaturas baixas. Sim, é a Patagônia, mas essa temporada estava atípica e se demonstrava como uma das piores dos últimos 10 anos, segundo os locais. Foram 50 dias sem nenhuma brecha no tempo ruim, nenhuma “ventana”. Algumas “pseudo” brechas apareceram na previsão e em todas essas nós subíamos a montanha a tentar alguma coisa. Ou, ao menos, a se movimentar e manter a forma física e mental.
Até que meio de fevereiro chegou e com ele o tempo bom. Foram uns 20 dias de tempo bom, com poucos dias ruins entre as “ventanas”; e esses dias ruins nem eram tão ruins assim; na verdade, eram melhores do que os dias “bons” em dezembro e janeiro. Os primeiros dias da ventana foram amplamente aproveitados, mas aí chegou a hora dos meus parceiros irem embora pro Rio e eu fiquei sozinha em Chalten.

A ida de meu parceiros de volta a casa foi alinhada com uma nova lesão no meu tornozelo. Não estava muito ruim, mas também não estava muito bom. Entre pensar em subir nos dias maravilhosos, descansar meu pé, buscar parceiros, trocar experiências, escolher objetivos, arrumar a mochila, caminhar pesada, entre várias outras coisas, minha motivação foi diminuindo até que chegou a quase zero.
É claro que me martirizava por não subir com um clima tão bom e dias tão lindos. Mas tive que entender que a temporada para mim já havia se acabado. Não foi fácil, mas me dei conta disso e consegui relaxar. Ajudou o vento forte que voltou a soprar nos meus últimos 3 dias em Chalten.
Agora o que me motiva?! Que pergunta difícil. Sei que Chalten por si só já me motiva muito: a treinar, escalar, melhorar como escaladora e como pessoa. Mas sei que não é apenas a montanha ou a escalada que me motiva. Acho que é a experiência toda e para que minha experiência seja plena necessito de coisas que vão além da escalada em si. Passa por aventura, pelo desejo de conhecimento, pela vontade de tocar a rocha e fazer cume, pelo desbravamento da natureza e de quem sou, e acima de tudo, passa por amizade e parceria. Cada vez mais me dou conta que quero estar na montanha com meus amigos, com meus parceiros. E que minha experiência e motivação está muito ligada a com quem estou na montanha.
De qualquer forma, acho que os relatos que farei sobre essa temporada poderão explicar um pouco mais sobre o me motivou durante esse tempo... Espero que gostem. Kmon!
Apoio:

Nenhum comentário:

Postar um comentário